Menu Fechar

Novas Músicas

JoaoQuinteiro10

Esta semana, a Arte no Tempo inicia o quinto e último ciclo da temporada de 2014/15 das sessões de “Música no Museu” (projecto Omnia Mutantur) com que tem ocupado as noites de quinta-feira no Auditório do Museu Arte Nova.

O tema deste ciclo é o que mais se aproxima da filosofia que está na origem do projecto- motivar para a escuta do repertório dos séculos XX e XXI, num contexto de associação com a grande tradição que o precede.

A abrir o ciclo Novas Músicas, João Quinteiro regressará a Aveiro para falar de Lachenmann (cf Música e outras áreas, 19 Março 2015 e Música e texto, 29 Maio 2013), abordando-a agora à luz dos conceitos de “Klangfamilie” e de “musique concrète instrumentale”.

Este ano compositor residente na Casa da Música, Helmut Lachenmann encontra-se entre os mais interessantes compositores do nosso tempo. Nascido em Estugarda, em 1935, trabalhou composição particularmente com o italiano Luigi Nono (1924-1990) e trabalhou também música electrónica no estúdio da Universidade de Gent.

JoaoQuinteiro10João Quinteiro (Lisboa, 1984), colaborador da Arte no Tempo desde a primeira série do projecto Omnia Mutantur (2013), realizou uma dissertação sobre Helmut Lachenmann no âmbito do Mestrado em Composição que concluiu na Universidade de Aveiro, em 2013. Nesta terceira sessão que dedica ao compositor alemão na esfera do projecto Omnia Mutantur, João Quinteiro abordará as obras Air (1968), para percussão e orquestra e Pression (1970), para violoncelo solo.

O ciclo prossegue até 14 de Maio com elementos da Arte no Tempo: Diana Ferreira (30 Abril, Salvatore Sciarrino), Pedro Berardinelli (Pierluigi Billone e Aureliano Cattaneo) e Ricardo Ribeiro (Raphaël Cendo e Franck Bedrossian), sempre à quinta-feira, às 21h30, no Museu Arte Nova (entrada pela Praça do Peixe / Casa de Chá Arte Nova).

[a partir do texto que será publicado no Diário de Aveiro de 23 de Abril de 2015]

Scroll Up