Menu Fechar

Magnet duo

Ao longo dos últimos 18 anos, Mário Teixeira e Nuno Aroso têm, em separado, trilhado interessantes caminhos pelo mundo da percussão contemporânea. O encontro entre ambos, sobretudo em projectos de formação alargada, permitiu a descoberta de interesses musicais coincidentes e despertou a vontade de se lançarem a um projecto conjunto. Assim, nasce em 2015 – Magnet – um duo que se propõe, tal como um íman sobre metal, a atrair a nova criação musical para dois vibrafones e outras percussões, oferecendo simultaneamente um contributo para o crescimento da área instrumental da percussão.
Em 2020, o Magnet duo estreia um conjunto de obras encomendadas a compositores portugueses pela Arte no Tempo, financiadas pela Direcção Geral das Artes, num concerto integrado nos Festivais de Outono.

Mário Teixeira (1971) é formado pela EPME com Carlos Voss, pela ESMAE com Miquel Bernat, e pelo Conservatório Superior de Roterdão com Robert Van Sice. É ainda Mestre e Doutor pela Universidade de Aveiro, com as dissertações “A interpretação da música japonesa para Marimba” e “O Tai Chi Chuan na Percussão”.
Estreou numerosas obras para ensemble contemporâneo, para grupo de percussão, música de câmara e solo. Dedicando-se essencialmente à música contemporânea, os seus interesses passam também pela música clássica, tendo variadas experiências no âmbito do Jazz e do Rock. Tocou com Henry Bock, Ivan Monighetti, Maria Schneider, Umo Jazz Orchestra, Maria João, John Zorn, Pedro Burmester, Fausto Neves, entre outros. Colaborou com as orquestras Régie Sinfonia, Orquestra do Norte, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Oficina Musical, Orquestra da E.P.M.E., Círculo Portuense de Ópera, Ictus Ensemble (Bélgica), Plural Ensemble (Espanha), Quarteto de Pianos de Madrid, Orquestra Gulbenkian e Coro Gulbenkian.
Leccionou nos Conservatórios de Aveiro e de Braga, na Escola Profissional de Música de Espinho e, entre 1999 e 2019, na Universidade de Aveiro.
É membro fundador do Drumming – Grupo de Percussão, membro do Remix Ensemble, do grupo Performa, Camerata Nov’arte e do Magnet Duo, além de co-fundador e co-director artístico do Festival Itinerante de Percussão. É praticante de Tai Chi Chuan.

Professor, investigador e solista de percussão com intensa actividade concertista, Nuno Aroso (1978) desenvolve a sua carreira focado na difusão e fomento da criação de literatura para a sua área instrumental.
Tocou em estreia absoluta mais de 120 obras e gravou parte deste repertório em edições discográficas.

Apresenta-se ao vivo em palcos da música contemporânea em Portugal, França, Alemanha, Bélgica, Espanha, Itália, Eslovénia, Brasil, China, Tailândia, África do Sul, Argentina, Grécia, Suécia, Inglaterra, Canadá, Bulgária, Tunísia, Escócia, Coreia do Sul, Japão, Chile, EUA. Particularmente motivado para o enriquecimento e renovação do concerto enquanto espectáculo completo e multidisciplinar, desenvolve com frequência relações artísticas com outras disciplinas: Dança, Cinema,
Teatro, Literatura. O compromisso com a música de câmara, assim como o interesse pelo experimentalismo e pela improvisação, levam-no a colaborar com variados colectivos, um pouco por toda a Europa. Licenciou-se pela Escola Superior de Música do Porto com a classificação máxima e prosseguiu estudos em Estrasburgo e Paris. É doutorado pela Universidade Católica Portuguesa, onde defendeu a tese The Gesture’s Narrative – Contemporary Music for Percussion. É professor no Dep. de Música da Univ. Minho, Escuela Superior de Música de Extremadura (Espanha) e Univ. Aveiro. Estende a sua actividade docente a outras prestigiadas universidades, conservatórios e festivais de música um pouco por todo o mundo, onde promove a realização de masterclasses, comunicações, conferências e seminários: McGill University (Canadá), Universidade Federal de Belo Horizonte (Brasil), Conservatório Superior de Aragão (Espanha), Concorso Musical Paolo Serrao (Itália), Festival de Percussão de Uberlandia (Brasil), Days of Percussion – Athens (Grécia), World Percussion Movement – Bari (Itália), Universidade Federal da Bahia (Brasil), Oficinas da Música de Curitiba (Brasil), Connect Festival – Mälmo (Suécia), Konart Percussion Academy Barcelona (Espanha), Universidade de la Plata (Argentina), Conservatório de Macau (China), Conservatório de Paris (França), Northwestern University (EUA), University North Texas (EUA), Percusion de Patagónia (Argentina), Valencia Percussion Academy, (Espanha), Manhattan School of Music (EUA). Assina o seu modelo de baquetas para a Elite Mallets e toca com instrumentos Zildjian e Adams.

(última actualização: 2020)

Scroll Up