Menu Fechar

Luís Salomé

Luís Salomé (Guarda, 1998) iniciou os seus estudos musicais na Banda Filarmónica de Pínzio, tendo, mais tarde, prosseguido os seus estudos de saxofone no Conservatório de Música de S. José da Guarda, na classe do Professor Carlos Canhoto. Posteriormente ingressou na Licenciatura em Música da Universidade do Minho, na classe do Professor Luís Ribeiro. Actualmente frequenta o mestrado em performance na classe do Professor Vincent David, no Conservatoire Royal de Bruxelles.
Conquistou o segundo prémio no IV Concurso de Sons da Cabral na quarta categoria, em 2016. No ano seguinte, obteve o segundo prémio no Concurso Internacional de Saxofone Buffet Crampon na categoria C. Em 2019 ganhou o primeiro prémio do Concurso S. Cecília, na Universidade do Minho. Já em 2020, foi-lhe atribuído o segundo prémio no Concours International Leopold Bellan.
Frequentou masterclasses orientadas por professores como Antonio Belijar, Arno Bornkamp, Carl-Emmanuel Fisbach, Carlos Gontijo, Fernando Ferreira, Jérôme Laran, João Pedro Silva, Marcus Weiss, Otis Murphy, Philippe Portejoie e Tomás Munera e, no âmbito da música de câmara, com Morphing Quatuor e Omar Zoboli.
Frequentou o Workshop de Electroacústica em ambiente Pure Data, orientado por João Pais, em 2013. Participou em várias edições do Festival de Música da Beira Interior, tocando a solo com a orquestra do Conservatório da Guarda, e participou ainda nos concertos do evento Projectar o Futuro com Arte, no festival Dias da Música em Belém. Frequentou dois estágios de orquestra sinfónica sob a direção do maestro Francesco Bellí, com concertos na ESPROARTE e na Casa da Música, em 2012. Participou com a orquestra EURO Sax 100 no SaxOpen, em Estrasburgo, mais tarde com o Quarteto SaxUm e com o Ensemble de Saxofones da Universidade do Minho no EurSax no Porto e ainda com o Quinteto Quimera no Congresso Mundial de Saxofone em Zagreb. Apresentou-se a solo no Teatro Aveirense, num concerto integrado no Aveiro_Síntese 2018. Participou ainda no projecto “Sente-me, Ouve-me, Vê-me”, inserido na BoCA 2019, com concertos no Teatro Nacional São Carlos (Lisboa), Casa das Artes (Porto) e Museu D. Diogo de Sousa (Braga).
É membro fundador do Merus Ensemble (ensemble de saxofones) e ainda do Hodiernus Ensemble (dedicado à música contemporânea). É membro activo do Belgian Saxophone Choir.

[última actualização: Abril 2021]

Scroll Up