Menu Fechar

ars ad hoc no FIMPV

O regresso a público da Arte no Tempo foi marcado pela participação do ars ad hoc na 14ª edição do Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu.

Apesar de ser um concerto sem público, transmitido em directo no sítio electrónico e redes sociais do festival, tratou-se de um aguardado regresso, uma vez que o agrupamento não se apresentava em concerto desde Outubro e que a própria Arte no Tempo não realizava actividades públicas desde Novembro. Não é de estranhar, pois, que o momento se tenha revestido de uma óptima energia, mesmo com a substituição de última hora de um dos músicos.

Foram dois quintetos e um quarteto de cordas, obras assinadas por Debussy e Grisey.
À interpretação do Prélude à l’après midi d’un faune [1984], numa versão para quinteto elaborada por Tim Mulleman, seguiu-se o extraordinário quinteto Talea [1986], de Gérard Grisey, concluindo-se o concerto com o Quarteto de Cordas em Sol menor, op. 10 [1893], também de Debussy.

A Arte no Tempo agradece encarecidamente a participação da flautista Ana Maria Ribeiro que, de última hora, substituiu Ricardo Carvalho.

[9. Abril. 2021]

Scroll Up