Paulo Ferreira de Castro

Publicado em biografias - professores e conferencistas

PFerreiradeCastroDepois de estudar Piano, Canto e Composição no Conservatório e na Escola de Música do Porto, formou-se em Musicologia na Universidade de Estrasburgo (França), com uma tese sobre Claude Debussy. Especializou-se depois nas áreas da Dramaturgia e Encenação de Ópera, obtendo o grau de Master of Arts em Estudos de Ópera pela Universidade de Leeds (Reino Unido). Em 2007 obteve o seu Doutoramento pela Universidade de Londres (Royal Holloway College), com uma tese sobre música e linguagem baseada na filosofia de Wittgenstein. Foi bolseiro, em várias ocasiões, da Fundação Calouste Gulbenkian, e usufruiu de uma bolsa de investigação do Royal Holloway College.
Tem concentrado o essencial da sua actividade nos campos da investigação musicológica e da docência universitária, principalmente no âmbito do Departamento de Ciências Musicais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde lecciona desde 1984. É autor de numerosos estudos musicológicos, incluindo a direcção de um volume sobre o compositor António Fragoso e a co-direcção de um outro sobre as relações entre música, dança e artes visuais no século XX, sendo ainda co-autor, com Rui Vieira Nery, de uma "História da Música Portuguesa" distinguida com o Prémio de Investigação e Ensaísmo Musical do Conselho Português da Música. Foi colaborador do semanário "Expresso" como crítico musical, e tem participado em múltiplas iniciativas de divulgação musical (RTP, RDP, Teatro Nacional de S. Carlos, Fundação Calouste Gulbenkian, Centro Nacional de Cultura, Biblioteca Nacional de Portugal, Culturgest, Centro Cultural de Belém, Casa da Música, Fundação de Serralves, Museu da Música Portuguesa, festivais de música, etc.), bem como em numerosos colóquios, palestras e conferências em vários países europeus e no Brasil.
Colaborador do Teatro Nacional de São Carlos desde 1986, a convite de João de Freitas Branco, foi nomeado em 1992 Director Artístico daquela instituição, cargo que desempenhou até ao ano 2000 e que acumulou com os de Administrador e Director. Nessa qualidade, foi responsável por mais de 60 produções operáticas, de Monteverdi a Ligeti (muitas das quais em estreia portuguesa), para além de inúmeros concertos e recitais, gerindo paralelamente a programação musical da Orquestra Sinfónica Portuguesa. Em 1998, fundou o Festival Internacional de Músicas Contemporâneas de Lisboa, "Música em Novembro".
Paulo Ferreira de Castro foi ainda Comissário para a Área de Espectáculos da Sociedade Portugal/Frankfurt 97 e, nessa qualidade, responsável pela programação nas áreas da música, dança e teatro com que Portugal se apresentou nesse ano como país convidado da Feira do Livro de Frankfurt (Alemanha). É membro do Conselho Português da Música, do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade Nova de Lisboa e da Sociedade Internacional de Musicologia, e exerceu entre 2010 e 2013 o cargo de Presidente da Direcção da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música. Foi também consultor do projecto de publicação de música portuguesa (PortugalSom) do Instituto das Artes (Ministério da Cultura), tendo participado em projectos de investigação financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito do CESEM, em torno das temáticas do teatro musical, da semântica musical e das ideologias da modernidade.

(última actualização: Dezembro de 2014)