Jonathan Harvey

Publicado em biografias - compositores

Harvey03. Maio. 1939 - 04. Dezembro. 2012

Nascido em Sutton Coldfield, Warwickshire, em 1939, Jonathan Harvey foi coralista no St. Michael's College, Tenbury (1948-52), aluno em Repton (1952-57), acabando o curso de música na Faculdade de St. John, Cambridge.
Fez o doutoramento nas universidades de Glasgow e Cambridge, e também estudou particularmente (a conselho de Benjamim Britten) com Erwin Stein e Hans Keller, entrando em contacto com a escola de Schoenberg. Nos anos sessenta compôs  livremente com várias influências. Durante o seu período de Harkness Fellow em Princeton (1969-70) tomou contacto brevemente com Milton Babbitt. Ao finalizar o curso de Princeton estava seguro dos seus objectivos musicais (em relação a profundidade de estrutura), um resultado imediato do seu trabalho em análise Schenkeriana.  
Um convite de Boulez para trabalhar no IRCAM resultou em quatro peças (até à data): a peça para fita amplamente conhecida Mortuos plango, vivos voco, Bhakti (para conjunto instrumental e fita), Ritual Melodies, para sons manipulados por computador, e Advaya, para violoncelo e electrónica ao vivo. Também compôs para a maioria dos outros géneros: grande orquestra (Madonna of Winter and Spring, Concertos para violoncelo e percussão, Lightness and Weight e Timepieces), câmara (três quartetos de cordas, Song Offerings, Tendril, Lotoses, Scena, Soleil Noir/Chitra , Wheel of Emptiness, e Death of Light, Light of Death, por exemplo), tal como peças para instrumentos a solo. A sua produção coral é grande e variada, sendo muitas das suas obras muitos usadas em cerimónias religiosas: a mais grandiosa- Passion and Ressurection (1981)- foi assunto de um documentário da BBC, sendo executada subsequentemente na Contemporary Music Network, dirigida por Martin Neary em 1993.  
A sua ópera Inquest of Love, encomenda da Ópera Nacional inglesa, foi estreada no Coliseu em 1993, e repetida no Teatro de la Monnaie, Bruxelas, em 1994. Foi amplamente louvada pelo seu uso sofisticado e visionário de sons electrónicos e a sua mistura com uma orquestra convencional, tendo sido aclamada como uma das melhores realizações entre recentes encomendas da ENO.
No seu sexagésimo ano, Harvey atrai encomendas de várias organizações internacionais. A sua música é executada regularmente em todos os principais festivais de música contemporânea e é conhecido como um dos compositores mais qualificados e imaginativos trabalhando em música electrónica. Jonathan Harvey tem doutoramentos honorários das universidades de Southampton e Bristol, é membro da Academia Europaea e, em 1993, recebeu o famoso Britten Award para composição. Publicará dois livros em 1999, ano em que é também publicado o estudo de Arnold Whittall da sua música, pela Faber & Faber (e em francês pelo IRCAM).

(última actualização: 1999)