oficina

Publicado em Blog AnT

Na próxima semana (18 a 22. Dezembro. 2017) desenrola-se a primeira actividade pública do Aveiro_Síntese 2018. 

A Oficina de Estudos Concretos será orientada por Diana Ferreira, no Teatro Aveirense, e é aberta a jovens dos 12 aos 16 anos.

oficinadeestudosconcretosjpgAs actividades de preparação do 3º Aveiro_Síntese (festival de música electroacústica) estão em curso desde Setembro, momento em que se iniciou, entre outros, o projecto de criação comunitária orientado por João Martins que, em Fevereiro próximo, no Teatro Aveirense, apresentará o resultado do trabalho realizado com duas turmas do 1º ciclo da Escola Básica de Santiago, uma turma da disciplina de Análise e Técnicas de Composição da Escola Artística do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian e o grupo d’Arte. 

Amanhã (sábado, dia 16 de Dezembro) é o último dia para inscrições numa actividade que preencherá a primeira semana da interrupção lectiva do natal, aberta a jovens entre os 12 e os 16 anos de idade. Orientada por Diana Ferreira (directora artística do festival e da Arte no Tempo, associação responsável pelo projecto), a Oficina de Estudos Concretos é a primeira actividade pública do 3º Aveiro_Síntese, projecto apoiado pela Direcção Geral das Artes e a Câmara Municipal de Aveiro.

Além de uma forte presença de música de autores portugueses, o 3º Aveiro_Síntese assinalará a passagem dos 50 anos da síntese por FM– descoberta de John Chowning (1934), em 1967 – e os 70 anos dos primeiros estudos de música concreta– “Estudos de Ruídos” (1948) de Pierre Schaeffer (1910-1995), sem esquecer duas figuras incontornáveis, de ambas as “escolas”, desaparecidas após a última edição da bienal, em Maio de 2016– Jean-Claude Risset (1938-2016) e Pierre Henry (1927-2017).
É precisamente em torno das técnicas que suportam a exploração sonora e a produção musical dessa corrente fundada por Pierre Schaeffer– a da musique concrète– que funcionará esta oficina que preencherá as manhãs e as tardes da próxima semana, na Sala Estúdio do Teatro Aveirense.

Os participantes da oficina serão convidados a descobrir, sempre a partir da componente experimental, um conjunto de conceitos que lhes permitirão desenvolver um discurso crítico sobre tudo o que escutam e sobre as suas próprias experiências criativas. Partindo dos sons que nos rodeiam no quotidiano e da sua aparentemente improvável utilização musical, serão construídos pequenos objectos sonoros, que se estenderão a frases musicais.

Ao contrário do que acontecia nos anos 40, não se recorrerá a gravadores de fitas, mas sim a tecnologia digital, mais intuitiva e acessível. O computador será a ferramenta essencial para o desenvolvimento de todo o trabalho, mas poderão ser utilizados gravadores portáteis (para gravações de campo) ou mesmo aqueles objectos que mais vulgarmente se encontram na mão de qualquer pessoa: os telemóveis.

Os concertos do Aveiro_Síntese (em que poderão vir a ser incluídos alguns exemplos criados nesta oficina) decorrerão no Teatro Aveirense, entre 16 e 25 de Fevereiro de 2018.

As inscrições para a oficina deverão ser feitas até ao final da tarde de amanhã, através do telefone nº 234 400 920 ou do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .