Alexandre Delgado

Publicado em biografias - professores e conferencistas

Alexandre Delgado 1Alexandre Delgado, compositor e violetista, nasceu em Lisboa em 1965. Estudou na Fundação Musical dos Amigos das Crianças (FMAC) e diplomou-se em 1983 no Conservatório Nacional, em violino e composição. Aluno particular de Joly Braga Santos, o seu Prelúdio para cordas, escrito aos 17 anos, foi estreado pela Orquestra Sinfónica da RDP em 1982. Estudou três anos com Jacques Charpentier em França, como bolseiro da SEC, diplomando-se com o 1.º Prémio de Composição do Conservatório de Nice em 1990. A sua obra Antagonia foi selecionada para os World Music Days na Cidade do México (1993), o seu Quarteto de Cordas foi gravado em CD pelo Quarteto Arditti (1999) e a sua abertura A Rainha Louca foi selecionada para um festival de estreias europeias no Rudolfino de Praga (2008). Langará para clarinete solo (1992) tornou-se peça de reportório a nível internacional, com múltiplas gravações em CD. Entre uma abundante produção instrumental e vocal, com encomendas regulares de Portugal e do estrangeiro, é autor da ópera de câmara O Doido e a Morte (cuja estreia dirigiu no São Carlos em 1994 e em Berlim em 1996, e cuja 6.ª produção dirigirá em maio de 2014 no Teatro Almada) e da ópera em dois atos A Rainha Louca (cuja estreia e gravação para CD dirigiu no CCB em Julho de 2011). Estreou o seu Concerto para Violeta e Orquestra como solista em Portugal, Espanha e Holanda. Entre obras mais recentes destacam-se  a lenda Santo Asinha para barítono e orquestra, o ciclo Cinco Sonetos Quinhentistas (estreado pelo soprano Maria Bayo), o Tríptico Camoniano e Verdiana para orquestra (encomendada pelo CCB para a comemoração do centenário de Verdi). Aluno em violeta de Barbara Friedhoff, foi vencedor do Prémio Jovens Músicos em 1987 e membro da Orquestra Juvenil da União Europeia (onde acompanhou Ravi Shankar e tocou sob a direção de Claudio Abbado e Zubin Mehta) e da Orquestra Gulbenkian. Crítico musical do Público entre 1992 e 2002, é autor dos livros A Sinfonia em Portugal, A Culpa é do Maestro (crítica musical) e Luís de Freitas Branco (Editorial Caminho). Assinou o programa A Propósito da Música na Antena 2 durante 17 anos, até 2013. Diretor do Festival de Música de Alcobaça desde 2002, integrou o Quarteto Lacerda (1990-2006) e é desde 2005 membro do Quarteto com Piano de Moscovo, com o qual realiza temporadas anuais em Cascais. Dirige a Orquestra Juvenil da FMAC desde 2013 e é free-lancer como instrumentista, maestro e comentador de concertos.

(última actualização: Janeiro de 2014)