Francesco Dillon

Publicado em biografias - intérpretes

FrancescoDillonA brilhante carreira de Francesco Dillon (Turin, 1973) caracteriza-se pela originalidade e variedade do repertório que abarca. Enquanto solista,tem passado por palcos tão prestigiados como a Konzerthaus de Vienna, o Muziekgebouw de Amsterdão, a Berlin Philharmonie, a Herkulessaal de Munique, a Laeiszhalle em Hamburgo, a Jordan Hall em Boston e o Teatro Colon em Buenos Aires, com orquestras como a Orquestra da Rádio Nacional italiana (RAI), Orquestra Sinfónica da Rádio do Sudoeste de Estugarda, Orquestra Sinfónica da Rádio de Viena, Orquestra do Teatro Colon, Ensemble Resonanz, Oulu Sinfonia Finland e a Orquestra Regional da Toscana (ORT). Recentemente estreou-se com a Orquestra Filarmónica do La Scala de Milão, sob a direcção de Susanna Mallki.

Francesco Dillon estudou em Florença com Andrea Nannoni, e prosseguiu os estudos com Anner Bijlsma, Mario Brunello, David Geringas e Mstislav Rostropovich, estudante posteriormente composição, com Salvatore Sciarrino.

É membro fundador do Quartetto Prometeo (1993), agrupamento que tem sido aclamado internacionalmente e recebido diversos prémios (Prague Spring, ARD Munich, Bordeaux) e, mais recentemente, distinguido com o Leão de Prata na Bienal de Música de Veneza. Dillon é também membro efectivo do agrupamento Alter Ego, regularmente convidado para os mais importantes festivais de música contemporânea a nível mundial. A sua paixão pela música de câmara tem-no levado a tocar com músicos como Irvine Arditti, Mario Brunello, Giuliano Carmignola, Piero Farulli, David Geringas, Veronika Hagen, Alexander Lonquich, Enrico Pace e Jean-Guihen Queyras.

O profundo interesse que sempre cultivou pela música contemporânea conduziu-o a colaborações com alguns dos compositores mais importantes do nosso tempo: Gavin Bryars, Ivan Fedele, Luca Francesconi, Stefano Gervasoni, Philip Glass, Vinko Globokar, Sofija Gubaidulina, Jonathan Harvey, Toshio Hosokawa, Giya Kancheli, Alexander Knaifel, Helmut Lachenmann, David Lang, Alvin Lucier, Arvo Pärt, Henri Pousseur, Steve Reich, Fausto Romitelli, Kaija Saariaho, Salvatore Sciarrino e com músicos experimentais de culto experimentais como Matmos, Pansonic, William Basinsky e John Zorn.

As suas actuações Dillon têm sido transmitadas por emissoras como BBC, RAI, ARD, Radio France, ORF, Australian Broadcasting Corporation e WDR. Gravou para a ECM label, assim como para a Sony, Kairos, Ricordi, Stradivarius, Die Schachtel e Touch.

Fez recentemente a primeira gravação em disco das Variações de Salvatore Sciarrino, que mereceram o Diapason d’0r prize, e gravou a Ballatta de Giacinto Scelsi (ambas com a Orquestra da Rádio Nacional Italiana- RAI). Com o pianista Emanuele Torquati, lançou três discos com obras de Schumann e a integral para violoncelo de Franz Liszt, para a Brilliant Classics.

Paralelamente à sua actividade concertística, tem ensinado em instituições como a Escola de Música de Fiesole, o Conservatório Tchaikovsky de Moscovo, a Universidade do Pacífico na California, Untref-Buenos Aires e Universidade de Manchester.

É, desde 2010, director artístico da temporada de música contemporânea Music@villaromana, em Florença.

[www.francescodillon.com]

(last update: March 2016)